domingo, 30 de janeiro de 2011

esse texto existe na memória de palavras soltas da cabeça da autora e nunca existiu, não insista. se insistir, não acredito nego a existência jurando

era uma manhã
como todas as outras
só que era quente
tinha cheiro de cigarro
café e pão que não desciam
e se faziam necessários
sem piscar
a luz
entrava muito forte
na grande sala
e depois
entrava nos olhos
a luz
e a sala
não havia fôlego
só uma ar disperso
com nicotina
um estômago ruim
tomando café
ali, ali e ali
aqui!
paralelo
transversal
olhei o branco que é a mistura das cores
nada resolveu
no ar
a nicotina
o cheiro
que se dissipava
a cabeça não falava
só o estômago
efeitos
físicos
pousei
foi
voou
acabou
indo
subindo
DESCENDO
DESCENDO DA FORMA MAIS FORTE POSSÍVEL
não cabe
estranhezas
longe
daqui
aqui
mesmo
usou
do
discurso
.
com
o seu dito
do não dito
interdisse
anestesia
fome que não come
sem seu
sem sua
sem meu
sem sentido
o ar tem cheiro de shampoo
e de pasta de dente
queda livre!
nããão
queda forçada

risos
pra mais
tarde.

Um comentário:

  1. minha manhã hoje foi assim... uma mistura de normal com café e pão.

    ResponderExcluir